Como montar uma loja virtual em 10 passos

Índice

O e-commerce é uma área do mercado que tem crescido de forma surpreendente no Brasil. Só no primeiro trimestre de 2021, o varejo virtual cresceu 57% quando comparado ao ano anterior. 

Isso faz com que entender como montar uma loja virtual seja uma dúvida comum de quem deseja empreender na internet. 

Vender na internet é mais fácil, esse é um fato que atrai a atenção dos varejistas. Contudo, não deixe se levar pela empolgação sem ter algum tipo de plano para o futuro.

Para que um e-commerce dê certo, ele precisa de planejamento estratégico, estudo de mercado e investimento de dinheiro, tempo e esforços.

Esses fatores são fundamentais para o sucesso de uma loja virtual. Podemos ver isso em um estudo realizado pelo Sebrae, cerca de 60% das lojas virtuais criadas no Brasil acabam fechando com menos de um ano de atividade.

Portanto, é preciso não apenas aprender a montar uma loja virtual, mas também como construir um negócio saudável.

Para ajudar você, criamos este passo a passo que vai ajudar a montar sua loja virtual, auxiliando nas tomadas de decisões e tirando algumas dúvidas.

Montar uma loja virtual vale a pena?

Não é possível saber se um negócio será um sucesso antes dele ser criado. É preciso de planejamento, estratégia e muita dedicação.

Apesar disso, existem vantagens bastante atrativas de investir no mercado digital, já que tem crescido de forma expressiva nos últimos anos. 

Para entender melhor, confira as vantagens e desvantagens logo a seguir. 

Vantagens

Com seu próprio negócio não será preciso trabalhar em um horário fixo, já que as lojas virtuais funcionam 24 horas por dia durante os 7 dias da semana.

Isso permite que os clientes comprem em qualquer horário, portanto os empreendedores podem trabalhar no horário que mais convém. 

As lojas virtuais exigem um investimento muito menor do que as lojas físicas. Isso acontece porque negócios digitais não precisam contratar funcionários ou precisam contratar menos.

Isso é possível porque existem diversas plataformas que otimizam e automatizam processos burocráticos.

Desvantagens

Abrir uma loja não apresenta só vantagens, existem alguns desafios que precisam ser superados.

Uma das principais desvantagens é o fato de que a jornada de compra acontece apenas no ambiente online. Ou seja, não será possível ter um vendedor atuando ativamente para conduzir os consumidores.

Outro fator importante é que os clientes não podem experimentar e testar seus produtos, o que influencia no número de devoluções.

O que é preciso para montar uma loja virtual?

As limitações mais comuns de quem está começando a montar sua loja são o tempo e o dinheiro. 

Esse é um problema que quem deseja começar seu negócio digital precisa enfrentar. Para isso é preciso manter o foco no gerenciamento do negócio. 

Para conseguir abrir e administrar seu negócio é preciso deixar as distrações de lado e prestar atenção apenas no seu negócio. 

Isso permite que consiga alcançar seu melhor resultado em um tempo menor. Algumas das principais dificuldades que as pessoas enfrentam na hora de mudar a loja são:

  • Muita informação disponível: existe muito conteúdo sobre e-commerce na internet. Por mais que seja algo positivo, esse excesso de informação pode acabar confundindo a cabeça dos empreendedores.
  • Conteúdo voltado para grandes negócios: grande parte do conteúdo disponível sobre vendas na internet é voltado para negócios de médio e grande porte. Isso faz com que poucas pessoas discutam e produzam conteúdos para pequenos negócios.

Como montar uma loja virtual: quanto custa?

Não existe um valor fixo para quem deseja criar um e-commerce, já que vários fatores como tamanho, plataforma de escolha, produtos comercializados e investimentos em marketing podem variar muito.

Apesar disso, é possível estimar quanto custa para montar uma loja virtual de acordo com o porte da empresa. 

É preciso levar em consideração tanto o investimento inicial para construir seu software ou contratar uma plataforma e os custos mensais para a manutenção do seu negócio.

De acordo com o tamanho das empresas, podemos seguir as estimativas: 

  • MEI (Microempreendedor Individual): exige um investimento baixo, principalmente nos modelos de dropshipping. O principal valor a ser arcado será com a mensalidade de uma plataforma, que conta com preços iniciais na casa dos R$ 30,00.
  • ME (Micro Empresa): o investimento inicial pode variar de R$ 5 mil a R$ 50 mil, de acordo com o porte e o segmento do negócio. Custos mensais podem estar entre R$ 200 a R$ 2 mil.
  • EPP (Empresa de Pequeno Porte): o investimento inicial é maior e pode variar entre R$ 50 mil a R$ 500 mil, com custos mensais de R$ 2 mil a R$ 5 mil.

Como montar uma loja virtual e o que vender

Confira a seguir o passo a passo de como montar uma loja virtual.

1. Defina o seu investimento

Determinar o investimento inicial deve ser o primeiro passo de quem está planejando montar um negócio digital. 

Para estimar e avaliar o valor da forma mais precisa, leve em consideração:

  • Os tipos de produtos que serão vendidos.
  • A estrutura de vendas.
  • A estratégia logística. 
  • As estratégias de marketing que serão utilizadas.

Uma dica importante para organizar suas atividades e finanças é dividir seu montante inicial em 12 partes.

As partes não precisam ser iguais, portanto, use mais no primeiro mês e divida o resto para outros 11 meses. 

Desta forma será possível gerenciar suas operações com mais segurança, evitando riscos e o comprometimento do fluxo de caixa. Ou seja, será mais fácil manter seu negócio funcionando bem.

2. Entenda a lei do e-commerce

A lei do e-commerce entrou em vigor em 2013 para organizar o segmento, que não tinha leis. Para conhecer a lei em detalhes, pesquise sobre o Decreto N° 7962/2013. 

Independente disso, confira o resumo de alguns dos principais pontos da lei. 

  • O consumidor tem direito ao acesso de informações claras sobre produtos, serviços e fornecedores.
  • O fornecedor precisa apresentar um sumário de contrato antes de uma contratação, com todas as informações necessárias sobre o exercício de direito da escolha do consumidor, além de fornecer o contrato de uma forma que permita ser reproduzido e conservado.
  • O fornecedor precisa oferecer ao consumidor uma forma de acessar o atendimento e solucionar demandas.
  • O fornecedor precisa contar com meios de segurança eficazes para pagamento e armazenamento de dados dos consumidores.
  • O fornecedor precisa informar de forma objetiva e ostensiva quais os meios adequados para o exercício do direito de arrependimento do consumidor. 

3. Regularize o seu negócio

Termos burocráticos que também são muito importantes para administrar um negócio, como CNPJ, NFe e ICMS.

CNPJ

Essa é a sigla de Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica, um documento que todas empresas precisam se inscrever e se cadastrar antes de começar suas atividades comerciais. 

O CNPJ também é necessário para emitir as notas fiscais em uma loja virtual. Ou seja, é necessária para manter suas atividades.

MEI

MEI é a abreviação de Micro Empreendedor Individual, é uma modalidade de empresa que pode ser muito interessante para quem está começando. 

Abrir um MEI não exige custos e apenas uma taxa mensal é cobrada, paga pela guia DAS que tem um valor de cerca de R$ 55,00 atualmente. 

O limite máximo de faturamento de MEI na atualidade é R$ 81 reais e permite a contratação de apenas 1 funcionário.

Quem deseja contar com mais de um funcionário ou faturar mais precisa abrir uma empresa limitada, conhecida como LTDA.

Também é importante conferir a classificação no CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) da empresa, permitindo venda e comercialização de produtos. 

NFe

Hoje em dia as transações comerciais no Brasil precisam emitir uma nota fiscal eletrônica, a NFe. 

As notas podem ser geradas através do site da Receita Federal. Contudo, para quem precisa gerar muitos pedidos será preciso um sistema ERP para emissão das NFe.

É claro que contratar uma ferramenta ERP não é algo necessário para ter um negócio online, contudo, essas plataformas permitem automatizar processos, reduzir erros e economizar tempo. 

Isso é importante para lojas virtuais, já que precisam receber pedidos, confirmar pagamentos, separar e embalar produtos, emitir NFe e etiquetas, enviar os pedidos e acompanhá-los.

4. Estude o mercado e mapeie seu público-alvo

Outro passo importante para montar sua loja virtual é saber o que seu negócio irá vender. É possível entender melhor o que vender após definir seu público-alvo, dando mais clareza e informações sobre como atuar no mercado.

Pensar bem no que será comercializado é uma forma inteligente de diminuir as chances de produtos encalhados em seu estoque. 

Afinal, a partir do momento que você conhece o perfil dos seus clientes, será possível trabalhar com campanhas segmentadas, promoções e ofertas. 

Entender bem seu público também irá permitir que seu negócio fale usando o mesmo linguajar, hábitos e expressões deste perfil de consumidores em suas redes sociais e campanhas. 

Isso permite a execução de campanhas de marketing mais atrativas, personalizadas e assertivas. 

Caso você ainda esteja com dúvida sobre o que vender ou qual público atender, confira a seguir algumas das principais tendências no e-commerce em 2022.

Mercado financeiro: criptomoedas, renda extra e investimentos a longo prazo.

  • Saúde e fitness: produtos para yoga, produtos sem glúten, alimentos veganos e vegetarianos, produtos para pele e cabelos.
  • Pets: alimentação natural, acessórios para cães e gatos.
  • Lazer: produtos eletrônicos, jogos e produtos para esportes.
  • Desenvolvimento pessoal: materiais para home office, livros e e-books sobre desenvolvimento pessoal, planilhas especiais.
  • Hobbies: materiais para pintura e artesanato, utensílios de cozinha, utensílios de jardinagem e instrumentos musicais.

5. Escolha o nome de sua loja e registre seu domínio

Definir o nome de sua loja virtual é fundamental para a criação de sua marca e para que os consumidores encontrem seu site. 

Esse é um dos passos mais importantes em todo o processo de como montar uma loja virtual. Afinal, o nome irá influenciar desde sua identidade visual até as campanhas de marketing que constroem sua marca.

Por ser um fator tão importante, não tenha medo de dedicar bastante tempo e esforço na escolha de um bom nome. 

Caso necessário, conte com a ajuda de empresas especializadas em criar nomes para negócios. Elas contam com estudos e técnicas avançadas de marketing para tornar a criação de nomes mais certeira. 

Também é importante lembrar que diferente das lojas físicas, seu e-commerce não terá uma fachada física nem banners que ajudem a fixar seu nome.

Para criar o nome de sua loja, deixe as ideias fluírem. Não restrinja suas opções, mas lembre-se de pensar no futuro de sua empresa e como esse nome pode afetá-la.

Escreva vários nomes no papel, avalie se são fáceis de lembrar e de falar, se são confusos, caso possível, aguardar alguns dias para rever o nome e descobrir se realmente há opção.

Uma forma interessante de riscar algumas opções de sua lista é fazer as seguintes perguntas:

  • É um nome curto?
  • É fácil de ser lembrado?
  • É fácil de ser pronunciado?
  • É criativo?
  • É fácil de entender?
  • É diferente da concorrência?
  • Está disponível para ser registrado como um domínio?

Para conferir se o seu nome está disponível como um domínio, acesse o site registro.br e faça sua pesquisa. 

Caso esteja disponível, compre o domínio para que ele torne o endereço de sua loja internet, o endereço que será usado para consumidores acessarem seu site.

6. Escolha a plataforma de e-commerce

Após resolver algumas das partes burocráticas, entender quem é seu público-alvo e dar um nome para sua loja, é hora de estruturar sua loja virtual. 

Escolher uma boa plataforma é algo que irá impactar diretamente os resultados do seu e-commerce. Afinal, essa plataforma irá oferecer os sistemas e recursos necessários para controlar suas vendas e divulgar seu negócio.

Portanto, pesquise bem sobre as alternativas de serviços do mercado para entender suas funcionalidades e principais características. Analise se a solução em questão oferece o que é necessário para o seu negócio, como:

  • Cadastro e inclusão de produtos
  • Gerenciamento de estoque
  • Gerenciamento de preço
  • Métodos de pagamento disponíveis
  • Gerenciamento logístico
  • Questões de segurança e cuidado com dados pessoais dos visitantes

Depois de avaliar estas questões, entenda que também existem 3 tipos básicos de plataformas de e-commerce: 

  • Próprias: são criadas pelo próprio negócio, permitindo opções ilimitadas de personalização. Contudo, exigem muito mais recursos e uma equipe especializada.
  • Gratuitas: oferecem opções sólidas de customizações, mas apresentam limitações e podem ser instáveis.
  • Pagas: podem cobrar uma mensalidade ou taxas pelas vendas, mas são confiáveis e permitem um bom nível de customização por um ótimo custo-benefício.

7. Escolha os métodos de pagamento

Outra parte importante da estrutura do seu negócio é a seleção dos métodos de pagamento.

Portanto, escolha o máximo de alternativas possíveis usadas pelo seu público-alvo, mas sempre lembrando de garantir a segurança dos dados e das transações em seus sites.

É possível encontrar várias alternativas de tecnologias de pagamento por empresas personalizadas e nas próprias plataformas de e-commerce.

8. Organize a logística de sua loja

Organizar uma boa logística é algo muito importante para a reputação de um negócio e para manter um bom relacionamento com sua clientela.

Tudo isso pode ser alcançado através de entregas de qualidade. Portanto, capriche na hora de planejar sua estrutura logística e na escolha dos fornecedores.

Quanto aos fornecedores, pesquise bem sobre seus preços, prazos de entrega e produtos:

  • Compare preços.
  • Se relacione com mais de um fornecedor para não se tornar dependente de uma empresa só, colocando em risco a capacidade de atender seus clientes.
  • Negocie os preços e prazos para manter seu capital de giro e segurança financeira.
  • Avalie também a distância entre seus fornecedores e o seu estoque.

Quanto à própria logística, tenha em mente que o valor do frete irá impactar diretamente suas conversões de vendas. 

O tempo de entrega também será determinante para garantir a satisfação dos seus clientes e sua fidelização. 

De forma resumida, confira os 3 tipos de principais de entrega:

  1. Logística própria: a empresa é responsável por todo o processo de venda, administrando cada etapa desde a compra, ao armazenamento e entrega do produto. 
  2. Logística parcialmente terceirizada: um modelo em que o empreendedor contrata os serviços de uma transportadora, não se tornando completamente responsável pela entrega.
  3. Logística terceirizada: uma empresa completamente especializada que é contratada para cuidar de todas as etapas da entrega. 

9. Crie a estrutura de vendas da sua loja virtual

Estruturar suas vendas também é muito importante. Nesta etapa é preciso decidir se os seus produtos serão vendidos apenas em sua loja virtual ou se serão anunciados em um marketplace. 

Isso é necessário, pois ao vender apenas em seu site fará com que os custos de anúncios pagos e campanhas de publicidade sejam mais caros. 

Contudo, estes gastos são necessários para que os consumidores encontrem sua loja. 

Vender em um marketplace permite que seu negócio alcance mais consumidores, contudo, será preciso considerar as taxas cobradas pelas plataformas.

É importante lembrar que essas estratégias podem ser utilizadas em conjunto, variando a fonte de tráfego para o seu site. Independente do modelo escolhido, o importante é organizar seus produtos e começar a vender.

10. Invista no SAC 2.0

Por fim, para garantir a melhor experiência do seu cliente, aposte no SAC 2.0. 

Comece se imaginando no lugar dos seus clientes. Entenda que um atendimento ruim, a falta de alguém para ouvir suas dúvidas ou solucionar seus problemas são fatores muito frustrantes que podem arruinar interações com sua marca.

Por isso, um atendimento ao cliente humanizado e de qualidade é tão importante. 

Por mais que todos os processos aconteçam online, os clientes desejam ter a opção de serem atendidos e ouvidos por pessoas que estão preocupadas em tirar suas dúvidas e ajudá-los com seus problemas.

Existem até mesmo pesquisas que mostram, que mesmo em casos onde clientes tiveram uma experiência ruim com uma loja, ao serem bem atendidos, essa impressão ruim foi revertida.

Portanto, pense em uma estratégia de atendimento, escolha as melhores ferramentas para atender online com qualidade e, se possível, invista em uma equipe para executar suas operações.

Contudo, no começo será comum que você seja a única pessoa responsável por atender. Portanto, separe horários em seu dia exclusivamente para atender seus clientes.

Deixe o horário de atendimento bem visível aos consumidores e mostre com clareza os prazos que solicitações terão para receberem uma resposta. 

Também é importante marcar presença nas redes sociais e realizar o atendimento por lá, solucionando desafios pelo Instagram, Facebook e WhatsApp.

Como montar uma loja virtual: 10 melhores plataformas de e-commerce

Agora que você já sabe como montar uma loja virtual, é hora de conferir algumas das melhores plataformas de e-commerce do mercado e descobrir qual é a opção certa para o seu empreendimento. 

1. Wix

A Wix é uma das plataformas de e-commerce mais populares do planeta. Com um ótimo construtor de sites, a empresa oferece um serviço de qualidade para lojas de qualquer tamanho. 

A plataforma é indicada tanto para quem está montando sua loja virtual agora, quanto para negócios já bem estabelecidos no offline que desejam começar a vender na internet. 

São vários recursos que facilitam o gerenciamento de um negócio, como ferramentas de gestão de produtos, controle de estoque, modelos de sites profissionais e personalizáveis, um construtor muito intuitivo e uma loja de apps para adicionar funcionalidades à sua loja.

O serviço também permite que empreendedores comecem negócios de dropshipping, para vender sem estoque através de fornecedores nacionais.

Destaques:

  • Loja virtual profissional, como modelos prontos e vitrine virtual.
  • Soluções de pagamentos seguras e avançadas.
  • Designs modernos customizáveis.
  • Plataforma de vendas completa com painel de gerenciamento integrado.

Crie sua loja virtual com a Wix

2. Zyro

O Zyro é um excelente criador de sites e lojas virtuais, com uma plataforma de e-commerce que se destaca pela competitividade. 

É possível escolher um entre vários templates de e-commerce para customizá-los da maneira que preferir. 

Todos os modelos são responsivos e contam com designs modernos, permitindo a criação de ótimas experiências em seu site. 

O serviço também oferece um suporte de 24 por dia, ajudando você com assuntos relacionados à sua loja em qualquer hora.

Além de oferecer um construtor potente, que permite gerenciar e expandir seu negócio, o Zyro não cobra comissão.

Destaques:

  • Conecte seu próprio domínio.
  • Criador de marca com inteligência artificial.
  • Hospedagem grátis.
  • Ferramentas para blogs.

Criar loja virtual e ecommerce com a Zyro

3. Nuvemshop

A Nuvemshop é uma empresa brasileira que conta com uma plataforma de e-commerce robusta e profissional. 

Através dela é possível criar lojas online de forma rápida e prática, personalizando sua loja seja para vender produtos ou para vender serviços.

Sua plataforma conta até mesmo com um painel próprio de aplicativos que podem adicionar funcionalidades em seu site para complementar seu e-commerce.

A Nuvemshop também se destaca quando o assunto é dropshipping, com recursos completamente otimizados para este modelo de negócio.

Destaques:

  • Ferramentas de logística de entrega.
  • Ferramenta para recuperar carrinhos de compra abandonados.
  • Sistemas ERP. 
  • Atendimento 24h.

Saiba como criar uma loja virtual e transformá-la em seu trabalho online com a Nuvemshop

4. SITE123

O SITE123 tem como foco oferecer uma solução rápida e fácil para criar sites, permitindo que e-commerces sejam feitos em apenas alguns minutos.

Seu construtor de sites é bastante intuitivo, permitindo criar lojas, sites e blogs com muita facilidade.

Os templates prontos de páginas oferecidos pela plataforma contam com designs profissionais e são responsivos. Isso significa que são otimizados para dispositivos móveis, melhorando sua navegabilidade.

Destaques:

  • Métodos de pagamento com checkout rápido.
  • Gerenciamento de inventário da loja facilitado.
  • Painel de gerenciamento intuitivo para rastrear pedidos na plataforma.
  • Permite a criação de cupons. 
  • Conta com ferramentas de vendas e marketing.

5. Loja Integrada

A Loja Integrada é um serviço profissional que também conta com sua própria loja de aplicativos e permite a criação de sites com facilidade a partir de temas prontos.

Isso permite que clientes customizem suas páginas de forma prática e utilizem soluções adicionais através dos aplicativos, como ferramentas de atendimento, sistemas de frete, gateways de pagamento e mais.

Uma de suas principais vantagens é a possibilidade de criar sua loja virtual grátis para começar. Além disso, é possível escolher um entre diversos planos que mais se encaixam em sua realidade.

Destaques

  • Suporte completo para assinantes.
  • Loja de aplicativos e serviços.
  • Diário de bordo.

Pessoa usando um computador para criar um site e o texto ao lado "Você pode ter uma loja virtual grátis"

6. Tray

A Tray merece seu lugar em nossa lista de plataformas de e-commerce para quem quer montar sua loja virtual. 

O serviço é uma ótima alternativa all-in-one, ou seja, com tudo o que é preciso em um só lugar. 

Vale a pena conferir seus planos que oferecem alternativas escaláveis, capazes de atender desde empreendedores individuais até mesmo às grandes lojas do mercado digital.

Contar com essa possibilidade oferece a segurança de que o seu negócio será capaz de crescer com segurança na plataforma. 

Destaques:

  • Ferramenta de e-mail marketing.
  • Integração nativa com marketplaces.
  • Soluções de frete
  • Loja de aplicativos.
  • Aplicativo para dispositivos móveis que permite gerenciar sua loja de onde estiver.

Crie seu E-commerce com a Tray

7. Webnode

Apesar de não ser uma solução brasileira, o Webnode é uma empresa que conta com uma equipe dedicada ao mercado brasileiro. A solução oferece muita qualidade, por isso não poderia ficar de fora da nossa lista.

A plataforma oferece um ótimo construtor de sites que oferece a possibilidade de criar e customizar sua própria loja virtual em apenas alguns minutos.

É possível encontrar recursos profissionais e uma interface muito prática e intuitiva. 

Destaques:

  • Criador de formulário.
  • Estatísticas do site.
  • Utilização de domínio próprio.
  • Apoio aos clientes premium.

8. CartX

A CatX é uma empresa que oferece a possibilidade de criar lojas online para vender na internet com bastante facilidade. 

O serviço conta com diferenciais para aumentar a taxa de conversão. Alguns dos principais são o upsell de 1 clique, o checkout transparente de uma página e a possibilidade de oferecer itens durante o momento da compra.

Estes recursos permitem otimizar as vendas e aumentar o ticket médio dos seus clientes. Além disso, o checkout da plataforma é flexível e conta com integração com o Shopify.

Essa é mais uma opção que permite a criação de uma loja virtual grátis, contudo, uma taxa será cobrada a cada venda. 

É uma boa oportunidade para quem deseja começar, já que será cobrado apenas após fechar suas vendas.

Destaques:

  • Upsell de 1 clique.
  • Checkout transparente de uma página.
  • Integração com o Shopify.
  • Produtos e serviços podem ser oferecidos durante o fechamento de uma compra.

9. Dooca

A Dooca é mais uma alternativa para quem deseja criar seu e-commerce em uma plataforma brasileira.

Com um serviço completo, o criador de lojas virtuais oferece diversos temas personalizados, altamente customizáveis com integrações com marketplaces, ferramentas ERP, soluções de marketing e soluções de logística.

Destaques:

  • Suporte.
  • Diversos métodos de pagamento.
  • Sistema antifraude.
  • Diversas formas de envio e rastreio.
  • Integração com diversos aplicativos.

10. Jumpseller

A última adição à nossa lista de plataformas de e-commerce é o Jumpseller. A solução oferece a oportunidade de atuar em diversos canais de vendas, como sua loja virtual, Facebook Commerce, Instagram Shopping e Google Shopping.

A plataforma é completa, oferece os gateways e métodos de pagamento mais populares, uma galeria de temas variados, métodos de envio e muito mais.

Destaques:

  • Sem comissões de vendas.
  • Produtos ilimitados.
  • SSL na sua loja online.
  • Diversos canais de venda.

Crie sua loja online com facilidade na Jumpseller!

Aprendeu como montar uma loja virtual?

Esperamos que o nosso artigo tenha ajudado você a entender os passos necessários para montar sua loja, além de apresentar dicas de plataformas de e-commerce.

Caso tenha interesse em investir no SAC 2.0, considere começar a usar o JivoChat para adicionar um chat online em seu site.

Essa é uma plataforma de atendimento profissional que unifica diversos canais de atendimento como Facebook, Instagram e WhatsApp. 

Além disso, é possível conferir as páginas que estão sendo acessadas em tempo real e iniciar conversas com visitantes através de convites proativos.

Início Blog Ferramentas Como montar uma loja virtual em 10 passos
Se você curtiu esse artigo você também pode gostar desses ...
Comece a usar o JivoChat hoje!
Gostou do que leu?
Cadastre-se e teste o JivoChat agora mesmo!
É grátis e só leva alguns minutos para fazer o download