Como precificar um produto: aprenda o passo a passo

Índice

A precificação de produtos é algo essencial para o sucesso de um negócio, mas nem sempre é uma tarefa que recebe a devida atenção dos empreendedores.

Isso acontece porque é comum que donos de negócios tenham muitas dúvidas sobre como precificar seus itens corretamente, cobrando o melhor valor por um produto ou serviço. 

A falta de iniciativa para se aprofundar neste assunto pode gerar problemas futuros caso os valores não garantam um bom número de vendas e uma boa margem de vendas.

Para encontrar o preço ideal é preciso levar em conta todos os custos que um negócio tem, a margem de lucro desejada, ticket médio, percepção de valor dos clientes, padrões do mercado e diversos outros fatores.

Só assim uma empresa será capaz de utilizar preços coerentes com o mercado, satisfazendo seus clientes e assegurando um faturamento que além de cobrir gastos, gere lucro.

Se você deseja aprender como precificar um produto para otimizar as vendas e o potencial de lucro do seu negócio, confira o nosso artigo.

O que é precificação?

“Precificação” é uma palavra definida pelo dicionário como “ato de determinar um preço”, porém, no contexto de negócios seu sentido é bem mais complexo.

Várias atividades estratégias estão relacionadas à precificação de serviços e produtos para um negócio.

Para fazer isso corretamente, empreendedores precisam cobrar um preço que cubra os gastos de suas atividades, gere valor, siga os padrões da concorrência e seja aceito pelos consumidores, desta forma a conta irá fechar.

Alcançar o equilíbrio entre todos estes fatores não é algo fácil, mas é a melhor forma de garantir a saúde financeira de um negócio.

Por que é importante precificar os produtos corretamente?

Nem sempre conquistar mais clientes ou gerar mais vendas irá resultar em lucro no fim do mês. Para que isso aconteça é importante saber como precificar um produto.

Estudar o mercado e os processos operacionais do seu negócio é muito importante para entender quanto cobrar dos seus clientes.

Optar pela solução mais simples de cobrar menos que a concorrência pode afetar diretamente a rentabilidade dos seus negócios. Já preços muito altos podem afetar seu número de vendas.

Portanto, entenda quanto seu produto ou serviço vale para os seus clientes. É claro, sempre levando em consideração os custos operacionais.

Principais objetivos de precificar seus produtos

O objetivo da precificação vai além do que uma maneira de atrair clientes. Os valores decididos neste processo irão influenciar diretamente o futuro do seu negócio.

Confira a seguir algumas das principais metas da precificação:

  • Pagar obrigações: optar pelo valor correto do preço irá assegurar que o seu negócio tenha recursos em caixa para custear o pagamento de obrigações e operações da empresa.
  • Satisfazer o consumidor: um bom preço precisa caber no bolso das pessoas que são seu público-alvo.
  • Definir seu público-alvo: o preço dos seus produtos também servem como uma forma de mostrar ao mercado que tipo de consumidor sua empresa deseja atrair. 
  • Melhorar resultados: preços de vendas bem planejados podem ajudar seu negócio a se desenvolver e gerar mais lucro. 
  • Lidar com a concorrência: esta tarefa oferece aos empreendedores as informações necessárias para saber até onde um negócio pode baixar seus preços enquanto ainda se mantém competitivo.
  • Oferecer descontos: por fim, um negócio pode optar pela margem mínima aceitável, garantindo que sua empresa não terá prejuízos.

Empreendedora conferindo uma anotação ao lado de uma etiqueta de preço

Passo a passo de como precificar um produto

Confira a seguir o nosso guia de como fazer a precificação dos seus produtos.

1. Conheça seus gastos

Levantar todas as informações sobre despesas e custos de uma empresa é a primeira tarefa de quem deseja precificar seus produtos de forma otimizada.

Empreendedores que pulam esta etapa acabam correndo o risco de ter prejuízo mesmo vendendo bastante. 

Este fenômeno pode acontecer se os preços estiverem muito baixos e o faturamento não superar os gastos do negócio.

Empreendedores que focam apenas no volume de clientes correm este risco, caso sua margem de lucro seja muito pequena e os faça acumular dúvidas. 

Por isso é muito importante levar em consideração os custos e despesas operacionais, que envolvem o pagamento de fornecedores, aquisição de matéria-prima, salários, honorários e até mesmo aluguel do imóvel.

2. Faça o levantamento de custos fixos e variáveis

Para assegurar que os seus cálculos sejam precisos, faça o levantamento de todos os custos fixos e variáveis de sua empresa.

  • Custos variáveis: contas de água, energia e gás, mão de obra, impostos, comissões, manutenção, entre outras opções.
  • Custos fixos: aluguel, serviço de limpeza e segurança, contabilidade e plano de internet.

3. Defina a margem de lucro

Pergunte-se e defina quanto lucro seu negócio pretende gerar com a venda de cada item.

É preciso compreender seus gastos e então optar por um valor que seja capaz de gerar lucro e fazer seu negócio ser rentável.

Algumas pessoas buscam por uma fórmula para aplicarem em seus empreendimentos, mas a verdade é que não existe uma margem ideal que possa ser adaptada para todas as empresas. 

É preciso pensar no lucro de forma básica: a diferença entre faturamento e os custos. Então, é preciso procurar pela opção que traga equilíbrio, algo que gere rentabilidade de forma responsável. 

Apesar disso, tenha sempre em mente que preços muito altos pode fazer com que itens fiquem parados em seu estoque e preços muito baixos são perigosos para sua gestão financeira.

4. Lembre-se de considerar o mercado

Após colocar os custos de sua empresa na ponta da caneta, é preciso levar em consideração o mercado e sua concorrência.

Isso significa que já existem padrões de mercado com os quais seu preço irá se aproximar, geralmente este valor está relativamente próximo ao praticado por concorrentes.

Mudanças de preços pontuais podem acontecer de forma temporária, com o objetivo de esvaziar o estoque ou conquistar mais clientes. Mas é preciso ter em mente que os preços muito baixos não podem ser fixos.

Portanto, não faça guerra de preços de uma forma permanente. É possível que concorrentes tenham melhores condições junto aos seus fornecedores, o que irá apenas ferir sua estratégia.

5. Use o markup

O Markup é um índice que tem  como objetivo formar preços de uma forma que equilibra os custos e o lucro no mesmo cálculo.

Para ser como precificar um produto usando o cálculo é preciso usar o custo de produção como base, considerando tudo o que foi gasto para produzir seu produto.

Entenda melhor conferindo um exemplo da aplicação deste cálculo:

  • Preço unitário total de venda: 100%
  • Despesas fixas (DF): 15% sobre a venda
  • Despesas variáveis (DV): 25% sobre a venda
  • Margem de lucro (ML): 20%
  • Custo de produção (CP): R$ 20,00

O primeiro passo é fazer o cálculo do Markup. Faça isso aplicando a fórmula a seguir: 

Markup = 100/100 - (DF+DV+ML)

Utilizando nosso exemplo:

Markup = 100 / [100 - (15 + 25 + 20)]

Markup = 100 / [100 - 60]

Markup = 100/40

Markup = 2,5

Após encontrar seu markup, o multiplique pelo valor custo de produção para encontrar o preço de venda.

Preço de venda = CP x markup

Preço de venda = 20 x 2,5

Preço de venda = R$ 50,00

Utilizando o cálculo chegamos ao valor final de R$ 50,00 por cada produto, levando em consideração os gastos necessários de um negócio e o lucro desejado.

6. Use a margem de contribuição

A margem de contribuição é mais um indicador financeiro que pode ser usado na precificação de produtos.

Sua principal vantagem quanto ao cálculo do markup é que a fórmula usada para a margem de contribuição considera o total de vendas de um item específico. 

Desta forma é mais fácil avaliar o melhor momento para variar seu preço e aumentar a competitividade.

O cálculo também permite saber quanto será preciso vender para que o seu negócio alcance um ponto de equilíbrio em certo período, partindo de uma projeção de vendas realista.

A fórmula usada para descobrir a margem de contribuição é muito simples:

Margem de contribuição = Valor das vendas – (Custos variáveis + Despesas variáveis)

Neste caso, o valor das vendas irá considerar o preço final praticado pela empresa. Os custos variáveis serão os mesmos custos de produção usados no markup. As despesas variáveis mudam de período em período. 

Mais uma vez vamos usar um exemplo para colocar este cálculo em prática. 

  • Os custos variáveis ou de produção totalizam R$ 20,00
  • O preço de venda por unidade é de R$ 50,00
  • As despesas variáveis são de 20% sobre a venda, ou seja, 20% de 50, dando R$ 10,00

O cálculo irá acontecer desta forma:

Margem de contribuição = 50 - (20-10)

Margem de contribuição = 50 - 10

Margem de contribuição = R$ 40,00

Após encontrar este número será possível projetar suas vendas em uma época específica para avaliar se a margem de contribuição irá cobrir os seus gastos. 

Aprendeu como precificar um produto em seu negócio?

Esperamos que o nosso artigo tenha ensinado como encontrar os melhores preços para os seus produtos, resultando em mais vendas e lucro.

Se você quer melhorar o atendimento do seu negócio para vender, considere instalar uma ferramenta de chat online em seu site.

O JivoChat é uma ferramenta que permite atender clientes em tempo real, abordar os visitantes de suas páginas com convites proativos para conversas, além de unificar seus canais de atendimento online.

Início Blog Marketing Como precificar um produto: aprenda o passo a passo
Se você curtiu esse artigo você também pode gostar desses ...
Comece a usar o JivoChat hoje!
Gostou do que leu?
Cadastre-se e teste o JivoChat agora mesmo!
É grátis e só leva alguns minutos para fazer o download