WordPress: o que é e como funciona

Índice

Criar um site ou um blog pode ser extremamente benéfico na geração de tráfego para a sua marca online e, quando se trata de criação de sites, blogs e lojas virtuais, uma das ferramentas mais indicadas é o WordPress.

Atualmente, de acordo com os dados do W3Techs, o WordPress corresponde a mais de 65% do mercado de Sistema de Gerenciamento de Conteúdo (CMS) no mundo. Por outro lado, seus principais concorrentes estão longe de representar algum tipo de incômodo.

Esse é apenas um dos diversos motivos para que todos os profissionais e estudantes de Marketing Digital procuram dominar o uso dessa ferramenta. Dessa forma, preparamos um guia completo para falar tudo sobre o WordPress.

O que é WordPress?

O WordPress utiliza PHP e MySQL, linguagens que são suportadas por todos os serviços de hospedagem de site

Mesmo que você precise de um domínio para começar seu projeto online, uma hospedagem WordPress especializada dará muita vantagem em velocidade, desempenho e confiança.

Como mencionamos antes, basicamente o WordPress é um CMS (Content Management System), traduzido para o portugues significa Sistema de Gerenciamento de Conteúdo. 

Por outra forma, o CMS é um sistema utilizado para administrar sites, blogs, lojas virtuais, portais de notícias e vários outros tipos de páginas. O CMS tem como objetivo gerenciar o conteúdo de forma simples e prática.

A missão do CMS é facilitar a criação e a edição de conteúdo em um site sem a necessidade de utilizar uma linguagem de programação. Tornando possível que qualquer pessoa sem conhecimento em códigos consiga gerenciar sua loja, site ou blog.

De forma simples e intuitiva, englobando a criação de textos, uso de imagens e vídeos, elaboração de formulários, além de diversas opções de personalização do layout do site e diversas outras funcionalidades.

Pensando em democratizar o desenvolvimento de sites, o WordPress busca tornar acessível a criação e administração de sites, blogs profissionais, sites de empresas, ou qualquer outro tipo de site.

Como funciona o WordPress?

Entendendo melhor o que é o WordPress, podemos explicar como ele funciona. Com duas versões disponíveis aos usuários, o WordPress possui a plataforma WordPress.com e o WordPress.org.

Em um primeiro momento, isso pode gerar uma confusão. Porém, ambos os sites tem seus propósitos e uma base gigantesca de usuários instalados.

O WordPress.com é uma empresa de hospedagem que utiliza o CMS WordPress para todos os blogs nele hospedados. Ao criar seu blog nesse primeiro serviço tem seus blogs com o tipo de domínio meublog.wordpress.com.

Apesar do plano padrão da versão “.com” ser gratuito, é possível adquirir domínios personalizados com as opções pagas.

Ilustração de um livro aberto no WordPress com pessoas sentadas

Já na segunda versão da plataforma, o WordPress.org é uma plataforma de código aberto, onde você precisa ter um site hospedado no próprio WordPress. Nessa versão você pode fazer download gratuitamente no site oficial e instalar no servidor que quiser.

Além disso, você poderá encontrar uma grande variedade de temas e plugins. Também é necessário registrar um domínio e adquirir um plano de hospedagem de site.

Ao longo deste artigo, iremos falar mais sobre as diferenças de ambas as versões. É importante mostrar a existência dessas duas formas de uso do WordPress.

O WordPress apresenta uma interface de gerenciamento do site, onde é possível ver diversas categorias, cada uma com funções específicas para o seu site ou blog.

Entre essas funções, podemos destacar:

  • Inserir e editar arquivos de mídia, como imagens, vídeos e áudios;
  • Adicionar, programar e editar posts para o site ou blog como se estivesse escrevendo no Word, por exemplo;
  • Criar novas páginas, menus, categorias e tags para o site;
  • Moderar os comentários dos visitantes;
  • Acompanhar dados básicos de acesso;
  • Editar o layout do site;
  • Gerenciar os níveis de permissão para os administradores da página;
  • Criar, adicionar, editar e excluir plugins e extensões;
  • Exportar e importar dados do site ou blog.

Quais são as vantagens do WordPress?

Separamos 7 benefícios do porquê utilizar o WordPress como sistema definitivo para quem deseja criar um site ou blog com conteúdos dinâmicos.

1. Precisa dominar códigos de programação

Com uma interface bem intuitiva, você não terá que se preocupar com códigos ou linguagem de programação se você optar por ter um site hospedado ou gerenciado no WordPress.

Com um sistema bem simples, a plataforma indica botões que permite que você possa editar um texto colocando palavras em negrito, justificando um parágrafo ou inserindo uma imagem no conteúdo.

Sem a necessidade de dominar códigos, e sem usar uma linha sequer, grande parte das funcionalidades do WordPress está acessível a poucos cliques.

2. Instalação fácil

Sem perder tempo para começar a utilizar os recursos oferecidos pelo WordPress, outra grande vantagem é a instalação rápida e fácil. Sendo um dos detalhes que mais chama atenção no site da plataforma.

Além de prezar por uma instalação rápida e fácil, que pode durar de 5 a 10 minutos, as atualizações do WordPress também podem ser feitas de forma automática e até mais rápido que a instalação inicial.

3. Alta oferta de plugins e extensões

Com mais de 50.000 plugins e extensões para melhorar a experiência de uso do site, tanto para os administradores quanto para os visitantes. Além disso, uma das vantagens é que os principais disponíveis para download são gratuitos.

Dentro dessas diversas opções, existem extensões que permitem criar galerias de fotos, aumentar a segurança do site, melhorar a velocidade de carregamento das páginas, entre outras.

4. Troca de templates

Outra grande vantagem a favor do WordPress é a simplicidade para poder alterar o visual de um site, sem que isso prejudique os conteúdos já publicados. Mesmo que você já tenha diversas publicações, é possível alterar o layout quando quiser.

Mudando apenas a forma como esses conteúdos passam a ser apresentados para o público.

5. Utilização em dispositivos móveis

Pensando na praticidade e na facilidade para seus usuários, o WordPress conta com um aplicativo para dispositivos Android ou iOS que permite gerenciar seu site direto do seu celular ou tablet.

6. Sistema de código aberto

O fato de contar com um sistema de código aberto possibilita que qualquer pessoa possa editar, aprimorar e personalizar suas versões, temas e plugins. Esse é um dos principais diferenciais do WordPress.

Um exemplo do benefício desse código aberto do WordPress foi a tradução da plataforma para o portugues brasileiro, criado por uma comunidade de desenvolvedores do WordPress no Brasil.

Para modificar o código do WordPress e personalizar ainda mais seu site, é necessário um bom conhecimento em programação ou um profissional de desenvolvimento web ao seu lado.

7. Atualizações constantes

Com essa comunidade ativa de desenvolvedores voluntários da plataforma, o WordPress conta com constantes atualizações.

Foram mais de 75 atualizações, desde a versão 0.70 até a 5.8.1 que melhoraram o uso do sistema e o tornaram mais seguro. Essas atualizações do WordPress podem ser feitas automaticamente em seu sistema.

Ilustração de layout de site

Como o WordPress surgiu?

Montamos uma linha do que contará uma breve história desde o surgimento do WordPress até às novidades das suas versões mais recentes.

A origem

A partir da interrupção de um projeto chamado B2 Cafelog, uma antiga plataforma para desenvolvimento de blogs, aparece o WordPress. Sendo uma variação do extinto B2 Cafelog, fundado por Matt Mullenweg e Mike Little.

Lançamento da versão 1.0

Em menos de um ano após o seu lançamento, era apresentada a versão 1.0 do WordPress. Nesta versão foram desenvolvidos recursos que são utilizados até hoje, como instalação simples e rápida, moderação de comentários e a criação de URLs amigáveis.

Logo em seguida veio o lançamento da atualização 1.2 que possibilitou o suporte e a chegada dos plugins.

A chegada da Automattic e do WordPress.com

Criada em 2005, a Automattic foi uma iniciativa comercial criada por Matt Mullenweg e a partir dela surgiu o WordPress.com. E atualmente, a empresa tem uma estrutura que oferece suporte e hospedagem aos sites criados sobre a plataforma WordPress.com.

No começo, a ideia era ampliar o mercado que estava restrito ao uso do código fonte e começar a gerar lucro.

Versões 1.5 e 2.0

Essas versões se destacam pela quantidade de novidades que foram trazidas ao sistema. Na 1.5, foram adicionadas as funcionalidades de temas e páginas estáticas.

Essa separação entre design e funcionalidades fizeram o WordPress virar uma excelente oportunidade de negócio para diversos desenvolvedores e designers. Muitos passaram a conseguir uma renda extra com a comercialização de temas personalizados para os sites.

Agora, na versão 2.0, foi adicionado a opção de upload de imagens, revisão dos processos administrativos internos (back end) e o aumento na velocidade do sistema.

Versão 2.0 para a 3.0

Foram 5 anos e 9 atualizações entre as versões 2.0 e 3.0, e essas atualizações melhoraram muito o WordPress. Entre as mudanças, podemos citar as principais sendo:

  • Inclusão do sistema de tags;
  • Criação dos diretórios de plugins e de temas;
  • Suporte para widgets;
  • Adição de corretores ortográficos, salvamento automático e uma lixeira para os arquivos excluídos;
  • Inserção dos alertas de atualizações;
  • Inclusão de temas e plugins já na instalação;
  • Modificações no design da plataforma.

As vulnerabilidades do sistema

Durante os anos de 2007 e 2008 o WordPress mostrou uma grande vulnerabilidade no sistema, sofrendo diversos ataques à sua segurança. Devido a versão 2.1.1, que gerou essa vulnerabilidade permitindo a inserção de códigos maliciosos.

Essa falha foi reconhecida pelo próprio WordPress, que logo em seguida lançou rapidamente a versão 2.1.2.

As novidades que levaram até a versão 4.1

Entre os anos de 2011 e 2014, a plataforma saiu da sua versão 3.1 para a versão 4.1, passando por uma fase de amadurecimento no sistema e crescimento no mercado. O WordPress se tornou o principal CMS do mercado, e agregou diversas novidades como:

  • Inserção do administrador de mídia;
  • Inclusão do upload de áudio e vídeo;
  • Personalização de temas e cabeçalhos;
  • Possibilidade de atualizar o sistema automaticamente;
  • Adaptação do dashboard para outros tamanhos de tela (design responsivo);
  • Redesign da plataforma;
  • Edição de imagens;
  • Suporte ao HTML5.

A aquisição do WooCommerce

Outro acontecimento importante na história do WordPress foi a compra do WooCommerce, que se tornou um plugin da plataforma. Isso fez com que o WordPress entrasse no mercado de temas e desenvolvimento de e-commerces.

O WordPress atualmente

A plataforma continua com suas atualizações e modificações que facilitam cada vez mais a vida dos seus usuários. Essas melhorias estão focadas na personalização, usabilidade, rapidez e segurança da ferramenta.

Qual a diferença entre WordPress.org e WordPress.com?

Como mencionamos brevemente antes, existem duas versões do WordPress, o “.org” e o “.com”. Chegou o momento onde iremos explicar melhor a diferença de cada uma dessas formas de usar o WordPress.

WordPress.org

A versão WordPress.org é o site comunitario onde você pode realizar o download do software e do seu código aberto para instalar em qualquer servidor. É necessário ter um domínio registrado e um servidor contratado para hospedar seu site em WordPress.

Como falamos antes, o WordPress é feito de código livre, onde você pode editá-lo e customizar da forma que quiser. Além disso, o sistema conta com diversos plugins, temas, idiomas e vários outros recursos sem qualquer limitação.

A limitação entre as versões do WordPress pode ser o grande diferencial das plataformas.

Tela inicial do WordPress.org

WordPress.com

Já a versão WordPress.com, é um serviço de hospedagem de sites com o software do WordPress, onde você se cadastra gratuitamente e cria um site com domínio “meusite.wordpress.com”, ou pagar para ter um domínio personalizado.

Para iniciar o seu site nesta versão, não é necessário ter hospedagem e nem domínio registrado. Entretanto, existem diversas limitações de uso, como:

  • Impossibilidade de usar temas personalizados (apenas os disponibilizados pelo WordPress);
  • Personalização mínima nas formas como os links são apresentados;
  • Impossibilidade de monetizar o blog ou site (ou somente se contratar os dois planos mais caros);
  • Exibição de anúncios do WordPress;
  • Marca e slogan do WordPress no rodapé do site;
  • Impossibilidade de editar o código fonte;
  • Limitação no espaço de armazenamento nos planos gratuitos e mais baratos.

Tela inicial do WordPress.com

Qual é a melhor versão do WordPress?

Isso vai depender muito do seu objetivo, se você busca criar projetos mais robustos, e-commerces e sites maiores, será necessário usar o WordPress.org, devido a sua possibilidade de personalização e uso livre do código fonte.

Apesar de precisar de outros investimentos como hospedagem e registro de domínio, esse modelo vale a pena se você deseja extrair o máximo do software e ter o mínimo de limitações.

Por outro lado, o WordPress.com pode ser a melhor escolha para quem pretende tocar um projeto mais pessoal. Quem deseja criar um site ou blog básico, com alguns recursos.

Por que migrar para o WordPress?

Apesar de ser o melhor CMS do mercado, você pode ta utilizando outro sistema de qualidade no mercado, mas ta pensando em migrar para o WordPress, separamos 3 motivos para te recomendar a migração para essa plataforma:

1. Segurança avançada

O primeiro motivo que apresentamos para migrar para o WordPress é o seu alto nível de segurança. Isso acontece devido às constantes atualizações, plugins de segurança e a atuação precisa e ativa da comunidade.

Devido a essa segurança e a confiança que o WordPress passa, essa plataforma acaba sendo a mais escolhida para proteger seus dados sigilosos.

2. Controle completo

O WordPress conta com todos os recursos que você precisa para um site, desde o layout, até a estrutura e suporte. A plataforma é completa e conta com diversas soluções robustas para qualquer tipo de operação digital.

Se você busca controle total e acesso em qualquer dispositivo, o WordPress é para você.

3. Usabilidade e interface

Diferente de outras ferramentas que investem em soluções poderosas mas pecam na hora de oferecer uma interface e usabilidade boa para o usuário, o WordPress conta com todas essas soluções e oferecem uma boa experiência ao usuário.

A cada atualização a plataforma fica mais amigável ao usuário, por exemplo, introduzindo o controle por meio de blocos de conteúdo.

Como criar o seu site no WordPress.com?

É bem simples criar o seu site utilizando o WordPress.com, para começar basta acessar o site do WordPress.com e clicar na opção “Comece agora”.

Em seguida, aparecerá uma tela com três opções de layout, basta escolher uma e poderá seguir para a próxima etapa, onde você irá escolher um tema provisório para o seu site ou blog. Essa etapa pode ser pulada, caso prefira.

Nessa próxima etapa, será a hora de dar um nome para o seu site, lembre-se que na versão gratuita o seu domínio terá “.wordpress.com”, agora se preferir um domínio customizado, é necessário pagar.

Em seguida, escolha um dos 4 planos oferecidos pelo WordPress, analise os recursos e vantagens de cada um e selecione a melhor opção para o seu projeto. Para finalizar, basta preencher seu endereço de e-mail e sua senha para finalizar o cadastro.

Os planos disponiveis para o WordPress.com são:

  • Pessoal;
  • Premium;
  • Negócios;
  • e-commerce.

Como criar o seu site no WordPress.org?

Se você deseja criar seu site ou blog no WordPress.org é preciso ficar atento pois envolve uma quantidade maior de etapas. Mas, não se preocupe, preparamos um guia para te ajudar a cumprir cada uma delas.

Escolha um domínio

A primeira etapa para criar um site utilizando o “.org” é registrar um domínio, já que o WordPress.org não fornece isso. Atualmente na internet existem diversas empresas onde você pode contratar um domínio sem pagar um valor muito alto.

Caso você já tenha um domínio do seu site e queira que o seu blog esteja conectado a ele, basta você criar um subdomínio como blog.seusite.com.

Agora, na hora de escolher um nome para seu domínio, opte por um que seja fácil de redigir, simples e que contenha uma palavra-chave inserida na URL.

Escolha um provedor de hospedagem

Com seu domínio criado e registrado, a segunda etapa é contratar um provedor de hospedagem. É importante saber diferenciar cada uma delas, o domínio é o endereço do seu blog, enquanto o host é o espaço virtual em que ele será hospedado.

Existem diversas opções de hospedagem no mercado, se você realizar uma busca pela internet, sem dúvidas encontrará diversas opções, separamos alguns que recomendamos:

Assim que contratar o seu serviço de hospedagem, é necessário apontá-lo às configurações de DNS do seu domínio. Caso não saiba como fazê-lo, é possível contatar o suporte do serviço e eles lhe informarão os dados necessários.

Baixe o WordPress

Ao concluir as etapas de domínio e hospedagem do site, chegou o momento de instalar o WordPress. Dentro do site do WordPress.org é possível realizar o download do instalador que vem em um arquivo zipado.

Após finalizar o download, acesse o painel de controle da sua hospedagem e procure o Gerenciador de Arquivos. Dentro dele, existe uma pasta chamada “public_html”, mova o instalador zipado do WordPress e faça a extração dos arquivos nele.

Em seguida, você já poderá acessar o painel de instalação do seu site em nomedoseusite.com/wp-admin. Entretanto, antes de continuar, é necessário que você crie uma base de dados.

Criar o banco de dados

Existem duas formas de criar o banco de dados: através do cPanel ou pelo phpMyAdmin. Se você optar pelo cPanel, é preciso seguir essas etapas:

  • Entre no seu painel cPanel;
  • Clique no ícone MySQL Database Wizard dentro de Banco de Dados;
  • Em “Step 1. Create a Database”, insira o nome do banco de dados e clique em Next Step;
  • Em “Step 2. Create Database Users”, digite o nome do usuário e a senha. Depois, clique em Create User;
  • Em “Step 3. Add User to Database”, escolha a opção All Privileges e clique em Next Step;
  • Em “Step 4. Complete “the task” os nomes do banco e do usuário são exibidos. Tome nota dos valores de hostname, username, databasename e a senha que escolher.

Agora, caso você escolha utilizar o phpMyAdmin, basta seguir esses passos:

  • Clicar em “Create new database”, escolher um nome para o seu banco de dados e clicar em “Create”;
  • Criar um usuário para o banco de dados. Para isso, basta clicar em “Add a new user” para inserir o nome de usuário e senha.

Agora que o seu banco de dados está criado, você pode seguir para a última etapa da instalação do seu WordPress.org.

Instale o WordPress

Agora, na última etapa da instalação do WordPress, para poder concluí-la você pode seguir as instruções que o WordPress mostra em nomedosite.com/wp-admin. Podendo inserir o título do site ou blog, nome de usuário, senha e as informações do banco de dados.

Basta clicar em “Instalar WordPress”, e aparecerá a mensagem “Sucesso! O WordPress está instalado.”, você concluiu essa etapa da criação do seu site ou blog.

Ilustração do WordPress sendo usado em um notebook

Como funcionam os temas?

Como mencionamos antes, existem uma imensa variedade de temas para o WordPress que você pode escolher. As personalizações só irão depender do tipo de site que você possui e de como você deseja que fique.

Existem diversos temas gratuitos que oferecem excelentes opções de customização, sem contar os milhares de temas que você pode comprar, com um ótimo custo-benefício.

Não tem nenhum mistério sobre a instalação de qualquer tema, se você deseja algum template que já está na galeria, é só pesquisar pelo nome, baixá-lo e ativar. Em poucos cliques é possível personalizar todo seu site.

Agora, caso tenha comprado um tema, basta baixar a pasta compactada, clicar em “instalar” e depois ativá-la. Após isso, basta começar ajustar o layout e configurar o tema do jeito que você deseja.

Quais são os plugins essenciais?

Já mencionamos a importância dos plugins e as funcionalidades que essas extensões podem auxiliar e melhorar a experiência de uso da plataforma.

Porém, com mais de 50 mil opções de plugins, para os mais diversos tipos e necessidades, pode acontecer de alguns serem mais importantes que outros. Pensando nisso, separamos alguns plugins essenciais para WordPress:

Rock Convert;

Yoast SEO;

W3 Total Cache;

Google Analyticator;

Flare.

É importante não se limitar apenas a esses plugins, essa lista contém alguns que valem a pena dar uma olhada. Mas continue pesquisando por novas opções que irão atender bem seus objetivos.

Como otimizar seu site no WordPress?

Como já falamos, o WordPress é uma plataforma muito completa. Utilizando apenas os recursos básicos da forma correta, você terá em mãos uma excelente solução de gerenciamento para o seu site.

Entretanto, sempre é possível aprender alguns truques e otimizar ainda mais seu site com o CMS. Possibilitando aumentar ainda mais seus resultados. Separamos algumas dicas para você aproveitar ao máximo o WordPress.

1. Certifique-se de que seu tema se adapta bem ao mobile

A grande maioria dos temas disponíveis para o WordPress são responsivos, ou seja, se ajustam aos diferentes tamanhos de telas de qualquer dispositivo. Porém, não são todos que oferecem essa boa experiência de navegação.

Por isso, é sempre importante testar a usabilidade desses temas em outros dispositivos antes de começar a utilizá-los. Também é importante verificar o tamanho das fontes, disposição do menu, entre outros detalhes.

2. Mantenha o WordPress sempre atualizado

É importante que você mantenha o WordPress sempre atualizado, para além de trazer novas funcionalidades, também corrigir bugs e reforçar a segurança do sistema. Além dos software do WordPress, é importante também atualizar os plugins e temas.

Utilizar versões desatualizadas e defasadas aumentam a chance de ser alvo de hackers e possíveis ataques maliciosos. Dessa forma, qualquer brecha desse tipo deve ser evitada.

3. Verifique se os plugins são compatíveis com as novas atualizações de sistema

É recomendado sempre atualizar o sistema manualmente, pois a maioria das extensões populares são testadas nas novas versões do WordPress. Entretanto é sempre bom verificar se não aparecem problemas nos plugins utilizados em atualizações.

Afinal, cada extensões possuem suas próprias atualizações. Caso não queira que seu site funcione de forma errada, é preciso verificar se as atualizações dos plugins estão alinhadas com a versão da plataforma.

Quais são os erros mais comuns do WordPress?

Apesar do sistema do WordPress ser bem organizado e poderoso, isso não significa que ele está imune a problemas. Separamos alguns dos principais erros que podem ocorrer enquanto você utiliza do sistema e o que significa cada um deles.

Erro interno do servidor (erro 500)

Existem diversas causas possíveis para este erro. E para resolvê-lo você pode tentar:

  • checar se o arquivo .htaccess está corrompido;
  • adicionar a linha de código: ( ‘WP_MEMORY_LIMIT’, ‘64M’ ) ao arquivo wp-config.php;
  • desativar plugins para ver se o problema está em algum deles.

Erro de conexão com o banco de dados

Esse erro pode ocorrer quando você insere dados de entrada errados, como nome de usuário e senha, ou quando acontece alguma queda do banco de dados do servidor. Caso seja o segundo, a solução é entrar em contato com o suporte do servidor para solucionar.

Erro 502 (Bad Gateway)

Agora, o erro 502 pode acontecer quando a página demora um tempo mais que o normal para carregar a solicitação feita pelo usuário ao tentar acessar o seu site pelo navegador.

Isso pode ocorrer devido ao tráfego congestionado por ter mais acessos do que o site suporta. Ou algum plugin pode causar essa falha.

Devido ao fato de que estes erros são técnicos, vale a pena entrar em contato com um profissional para lidar com eles. Caso não seja possível, o WordPress disponibiliza uma documentação para te ensinar a agir em cada situação.

Aprendeu o que é WordPress?

Esperamos que este guia tenha te ajudado a entender o que é WordPress e como ele funciona. Agora você pode criar seu site ou blog de forma mais fácil.

Se você está criando um site para um negócio que está começando, confira nosso artigo sobre como montar uma loja virtual.

Início Blog Reviews WordPress: o que é e como funciona
Se você curtiu esse artigo você também pode gostar desses ...
Comece a usar o JivoChat hoje!
Gostou do que leu?
Cadastre-se e teste o JivoChat agora mesmo!
É grátis e só leva alguns minutos para fazer o download