Plano de Loja Virtual: o que precisa considerar na hora de criar a sua

A criação da Loja Virtual costuma ser um processo natural no plano de crescimento de quem vende na internet. Afinal, é este o canal onde tem mais controle sobre o negócio e pode criar todas as ações que achar viável. É a sua casa - e justamente por isso precisa prezar pela organização e itens essenciais ali dentro.

Uma coisa bem comum para lojistas é escolher uma plataforma de loja virtual porque ouviu falar bem sobre ele ou um amigo indicou. Mas, à medida em que usa essa plataforma, sente que talvez não tenha feito a melhor escolha, porque faltam os recursos necessários para incluir tudo aquilo que gostaria na sua loja.

Como na sua própria residência, a sua loja virtual precisa de uma estrutura básica e também precisa te oferecer opções para incluir e modificar o que for necessário.

A verdade é que existem dezenas de opções de plataformas de loja virtual no mercado. Só que, na hora de criar sua loja virtual, você precisa pensar no que é melhor para a sua loja e para o seu bolso.

No Ecommerce na Prática, a maior escola de EAD com foco em Ecommerce do país, costumamos dizer que quem pensa em criar uma loja virtual precisa organizar prioridades e entender o que de fato não pode faltar e o que são “extras”. Uma vez que entende isso, fica muito mais fácil, no meio de tantas opções, entender qual é a melhor para você.

E é exatamente esses pontos que vamos abordar aqui. Abaixo, mapeamos os principais pontos que deve considerar na hora de criar a sua loja virtual.

Itens Essenciais na Loja Virtual

1. Custo

Colocamos esse sempre em primeiro lugar, pois a criação da sua loja virtual precisa estar alinhada com o orçamento que possui. É verdade que existem plataformas que permitem planos gratuitos - e podem ser uma boa opção para iniciar sua loja, mas, a longo prazo, precisará aumentar o seu plano.

Então, antes de buscar por qualquer plataforma de loja virtual, verifique qual é orçamento que tem disponível para essa ação.

2. Domínio

O domínio é o endereço do seu site, o “www” pelo qual sua loja será encontrada na internet. Não importa gama de possibilidades que a plataforma pode te oferecer. Se não tiver domínio próprio, fuja.

3. SSL

O SSL (Secure Socket Layer) é uma tecnologia de segurança que garante que os dados transmitidos dentro do seu site sejam sigilosos. Ou seja: é o que mostra para os clientes que seu site é seguro, trazendo mais confiança.

4. Personalização

A maioria das plataformas te oferece um modelo de layout para criação da loja virtual, mas, como o ideal é que fique com a sua cara, é importante que também permita personalizações.

Uma boa dica é entender se permite a inclusão de pop-ups, vídeos, novos botões…

5. Host

A hospedagem do seu site é que garante que ele fique no ar, ativo para os usuários. Algumas plataformas já oferecem um plano de hospedagem junto com o plano de loja virtual, mas você pode optar por escolher sua própria hospedagem em uma ferramenta da sua confiança.

6. Integrações

Além do seu site, você provavelmente também tem um sistema de CRM, transportadoras, meios de pagamento, ERP, Hub… Verifique, então, se a plataforma de loja virtual que vai escolher te oferece essa integração.

Lembre-se de que, em geral, as plataformas já possuem integrações nativas com algumas ferramentas. No entanto, mesmo que as suas ferramentas não estejam na lista, pergunte se é possível acessar a API do site para fazer essa integração de forma manual.

7. Volume de Acessos

Essa é uma surpresa para muita gente. Os planos costumam variar o número de acessos permitidos no site por mês, o que pode limitar bastante o seu crescimento. Por isso, verifique qual é o volume permitido e veja se faz sentido para criação da sua loja virtual ali.

8. Número de Produtos

A limitação do número de cadastro de produtos também é comum. Por isso, se tiver uma lista muito grande de produtos em catálogo, precisa buscar por plataformas que permitam esse volume.

9. Responsividade | Mobile First

O mobile first entrou em novo, mas deveria estar entre os primeiros, se fosse esta fosse uma ordem de prioridades. Hoje em dia, ignorar a versão mobile é ignorar diversas oportunidades de venda do seu site. Por isso, pense sempre na experiência que vai proporcionar para o seu cliente via celular .

10. Checkout transparente

Essa é uma facilidade para o cliente na hora da conversão e algo que vai te ajudar a reduzir abandonos de carrinho. No entanto, nem toda plataforma permite essa ação, então verifique esse ponto antes de qualquer coisa.

11. Suporte

Independentemente do que escolher, tenha a certeza de que, em algum momento, vai precisar de ajuda… seja porque um botão não funciona ou simplesmente porque não sabe como fazer algo dentro da plataforma.

Sabendo disso, busque entender como é o suporte da plataforma, se funciona 24 horas por dia e finais de semana, se o atendimento é ágil, se é fácil entrar em contato… Esse tipo de resposta você consegue de forma bem direta e clara se for conversar com alguém que já usa essa plataforma ou mesmo em reviews na internet.

Layout da Loja Virtual

Além desses pontos que estão mais ligados à operação da Loja Virtual, tem alguns aspectos visuais e ilustrativos que não podem faltar, como a identidade do seu site, botões atrativos, categorias, página de quem somos, campos de captação de e-mail…

São diversos aspectos que deve considerar nesse sentido, sem nunca deixar a personalidade da marca de lado e nem ignorar a usabilidade.

Um erro comum entre empreendedores é querer copiar sites que consideram bonitos na internet, sem entender se aquilo faz realmente sentido para a audiência. O site deve ser pensado para ser fácil dos seus clientes navegarem e concluírem a compra.

A hora certa de abrir sua loja

Esses são aspectos que você precisa considerar na hora de abrir a sua loja virtual. No entanto, qual é a hora certa de agir nesse sentido?

A verdade é que abrir uma loja virtual no começo do negócio não vale a pena. Dizemos isso porque, se parar para pensar, uma loja virtual não funciona como uma loja física, onde as pessoas podem passar na calçada e se interessarem pelo que enxergam na vitrine. A loja virtual fica “escondida” e a única forma de fazê-la aparecer é investindo em ações de marketing para atrair tráfego.

Esse tipo de ação pode exigir alto investimento, se pensar em anúncios, que é o que traz retorno mais rápido. E ações gratuitas (chamamos de orgânicas) costumam demorar mais para trazerem resultado. Em geral, nem todo mundo que empreende online tem tempo ou dinheiro para investir logo de cara.

Falamos aqui, em outro artigo, sobre a hora certa de abrir sua loja virtual e como identificar o seu momento, que, em geral, envolve 3 coisas: validação do negócio, criação de base de audiência e estrutura sólida.

Preste atenção nisso antes de tomar qualquer decisão.

Conheça o Ecommerce na Prática

O Ecommerce na Prática é a maior escola de EAD de empreendedorismo com foco em Ecommerce do país. Desde 2015, nos dedicamos a transformar vidas e realizar sonhos por meio da educação, capacitação constante e apoio de uma equipe especializada.

Hoje, são mais de 20 mil empreendedores em nossos treinamentos e mais de um milhão de pessoas impactadas todos os dias por nossos materiais gratuitos.

Conheça o Ecommerce na Prática também e fique por dentro de todos os temas relacionados ao Ecommerce e negócios digitais.

Início Blog Ecommerce Plano de Loja Virtual: o que precisa considerar na hora de criar a sua
Se você curtiu esse artigo você também pode gostar desses ...
Comece a usar o JivoChat hoje!
Gostou do que leu?
Cadastre-se e teste o JivoChat agora mesmo!
É grátis e só leva alguns minutos para fazer o download