Os bots são as novas newsletters

As taxas de abertura de email estão cada vez mais baixas. Como lidar com isso?

Quando comecei a fazer envios de emails, lá para o ano de 2010, lembro-me como eram as taxas de abertura. Entre 30 a 50% era um valor aceitável. Apesar de achar estranho metade da minha lista nem sequer abrir o email, eles continuavam sendo extremamente rentáveis. Disparava um email e as vendas eram praticamente imediatas.

Hoje em dia, se atingir os 15 a 20% de taxa de abertura será um grande feito. Eu sei que depende de muitas coisas: conteúdos, relacionamento com a lista, etc.

Antes que alguém venha criticar essa parte, repito: eu sei isso.

Mas também sei que não podemos negar que a abertura dos emails está cada vez mais difícil. Basta olhar para você. Sim, olhe para você. Todos os dias recebe mais e mais emails. E, consequentemente, tem cada vez menos tempo para cada um deles.

E se, contabilizarmos que, desses 20% de abertura - que repito, é uma boa taxa de abertura - 10% clicaram em links que você enviou, estamos falando de 1% da sua base de emails que efetivamente clicou no seu link. Não é difícil entender os números.

E claro, o JivoChat também te permite utilizar convites proativos como newsletter diretamente em seu website.

O email não está morto, mas ele já não é o que era

Não faço parte daquele grupo de profetas do apocalipse que dizem que o email morreu. O email está ai para você fazer contatos mais profissionais, convites mais formais para quem você não conhece, etc. Ele continua e continuará ai. O ponto é: ele não morreu, mas está numa experiência de quase-morte. Para as comunicações mais profissionais entre as equipes, ferramentas como o Slack ou o Hipchat já substituem grande parte dos emails.

Para conversas pessoais, WhatsApp e Messenger fazem esse papel.

Indique e Ganhe: Programa de Afiliados JivoChat

Chat Bot

O momento dos Bots chegou

Mas agora você deve estar perguntando:

Se o email morreu, como posso me comunicar com meus clientes?

Acredito muito que essa substituição possa ser feita através dos bots. Quando as pessoas estão no celular, a maioria está nas redes sociais. No computador, a mesma coisa. Em bots no Messenger do Facebook, por exemplo, a taxa de abertura não é de 100%, mas ronda perto desse valor. A taxa de cliques é igualmente alta.

O seu conteúdo passa a estar onde a maioria das pessoas estão.

Repare no site to Techcrunch, no bot que eles têm em cima.

Techcrunch

Após você subscrever esse bot, você passa a receber um conteúdo por dia com as principais notícias. É a nova newsletter to Techcrunch.

Mas para você começar a ter sucesso com os bots, precisa começar a trabalhar agora. Felizmente, existem ferramentas que já estão ajudando nesse processo. Ferramentas como o ChatFuel ou o ManyChat já permitem que você crie bots com bastante facilidade e sem grandes conhecimentos técnicos.

Apesar das taxas de abertura serem maiores, o conteúdo continua sendo o fator diferencial do sucesso ou insucesso do seu conteúdo: se o tema for interessante, você terá mais cliques e aberturas; se for menos, nem os Bots podem salvar você.

Para já, fazer com que as pessoas subscrevam aos bots e recebam conteúdo de lá está algo facilitado. Como é novidade, todos aceitam receber conteúdos de bots. Mas no futuro, será mais difícil engajar e levar com que as pessoas assinem newsletters nos nossos bots. Por isso, foque-se no conteúdo de qualidade para começar a criar já uma audiência interessada naquilo que você tem para compartilhar.

Basta você se lembrar como era a assinatura de newsletters há 10 ou 15 anos. Todos queriam assinar newsletter para receber conteúdos. Hoje, todos fogem de newsletters.

Agora, você tem uma segunda chance. Os bots são as novas newsletters.

2017/04/ 7

Se você curtiu esse artigo você também pode gostar desses ...

Dicas para ecommerce, conversão e suporte