Comunicação Não Violenta: O que é e Como Aplica-la no Dia a Dia

12 de janeiro de 2024
Tempo de leitura4 minutos
Felipe A.
Felipe A.
Redator

A Comunicação Não-Violenta (CNV) foi criada pelo psicólogo clínico norte americano Marshall Rosenberg na década 60. Mas o que é essa comunicação e como aplica-la na sua rotina no trabalho e até mesmo nas suas relações pessoais?

Esta abordagem compassiva busca transformar a nossa maneira de ouvir e se expressar, permitindo que você enxergue suas relações pessoais e profissionais de uma forma mais compreensiva, empática e pacífica.

O que é Comunicação Não-Violenta (CNV)?

Conforme mencionamos anteriormente, esta é uma abordagem prática que visa criar conexões mais profundas entre as pessoas e reduzir a hostilidade, promovendo a compreensão mútua e a colaboração nas relações.

Para alcançar esse objetivo e permitir que você se reconecte com sua capacidade compassiva, a Comunicação Não-Violenta (CNV) exige que você se concentre em quatro componentes: Observação, Sentimento, Necessidades e Pedido.

Os 4 Componentes da Comunicação Não-Violenta (CNV)

Os quatro componentes da CNV, desenvolvidos por Marshall Rosenberg, fornecem uma estrutura que facilita a comunicação eficaz e empática aumentando nossas chances sucesso. Vamos falar sobre cada um deles mais detalhadamente, confira:

1. Observação

O primeiro passo deste processo comunicativo é observar de forma objetiva e imparcial o que está acontecendo naquela situação, afim de identificar se a mensagem que está sendo transmitida pela outra pessoa, acrescenta algo positivo.

É importante ressaltar que essa observação inicial precisa ser feita sem julgamentos ou preconceitos, pois isso te permite focar no que realmente aconteceu e continuar o dialogo evitando mal-entendidos ou até mesmo desacordos baseados em interpretações subjetivas.

2. Sentimento

Além de observar, dentro deste processo também é essencial saber identificar e expressar os sentimentos pessoais e emoções que aquela situação despertou, como mágoa, raiva, felicidade, medo e diversas outras.

Expressar seus sentimentos de forma clara e vulnerável, promove a compreensão mútua e ajuda a criar uma conexão emocional entre você e a outra pessoa. Porém, distinguir pensamentos e sentimentos é crucial.

Sentimentos são reações emocionais imediatas e subjetivas a uma situação, como felicidade, tristeza, surpresa, etc e pensamentos são processos cognitivos racionais que tendem a incluir julgamentos, crenças e opiniões.

3. Necessidades

Logo em seguida, precisamos identificar e reconhecer quais necessidades estão ligadas a esses sentimentos. As necessidades são uma representação dos valores, desejos e anseios que influenciam nossas emoções.

O psicólogo ainda destaca que, quando as pessoas reconhecem, expressam e compartilham suas necessidades de forma clara, elas conseguem trabalhar em conjunto para encontrar soluções satisfatórias maneira eficaz.

4. Pedido

Saber formular pedidos claros e específicos é a melhor forma de orientar positivamente a outra pessoa sobre como atender suas necessidades. Para isso, os pedidos precisam ser positivos, concretos e realizáveis.

Se possível, evita utilizar termos ambíguos, muito técnicos, vagos ou até mesmo abstratos, pois isso pode gerar uma ruído na comunicação e consequentemente causa algum tipo de mal entendido entre as partes.

Exemplos de Comunicação Não-Violenta (CNV)

A seguir, vamos trazer alguns exemplos de como a CNV pode ser aplicada em situações do seu dia a dia, confira:

1- Situação: Conflito no Trabalho

  • Abordagem "Comum": "É difícil trabalhar com uma pessoa que nunca colabora nos projetos, igual você"
  • Abordagem CNV: " Nas ultimas semanas, a empresa notou alguns desafios quando solicitada sua colaboração no projeto (Observação) e isso deixa a equipe frustrada e preocupada (Sentimento). Nós precisamos de um atitude mais colaborativa para atingir a meta (Necessidade). Você gostaria de conversar sobre como podemos melhorar a comunicação e a colaboração com a equipe? (Pedido)."

2- Situação: Desentendimento entre amigos

  • Abordagem "Comum": "Você nunca pensa nos outros, é muito egoista!"
  • Abordagem CNV: "Percebi que nas ultimas semanas, algumas das nossas decisões parecem ter tido focos diferentes (Observação). Isso me causou um pouco de medo e desconexão (Sentimento). Eu necessito que minhas relações tenham intenções claras e objetivas (Necessidade). Podemos conversar e encontrar um ponto em comum que atenda ás nossas necessidades? (Pedido)."

3- Situação: Atendimento ao Cliente

  • Abordagem "Comum": "A culpa pelo atraso não é nossa, o problema é por parte da transportadora. Não podemos fazer nada.",
  • Abordagem CNV: "Percebemos que houve um problema com a entrega do seu pedido, e gostaríamos de pedir desculpa pelo inconveniente (Observação). No seu lugar, eu também estaria frustrado com esta situação(Sentimento). Neste momento, preciso da sua compreensão e paciência para te ajudar da melhor maneira possível(Necessidade). Podemos discutir algumas opções para garantir que você receba seu produto e toda assistência necessária?(Pedido)"

Como Praticar a Comunicação Não-Violenta (CNV)

A melhor forma de começar a praticar a Comunicação Não-Violenta no seu dia a dia é, ao se deparar com alguma situação similar com as que exemplificamos, tentar se orientar e aplicar os 4 componentes mencionados por Rosenberg.

Aplicar esse componentes e praticar a auto conexão é uma das melhores formas de transformar completamente os resultados de qualquer situação adversa que possa acontecer no seu trabalho ou vida pessoal.

Aprendeu O Que É e Como Aplicar a Comunicação Não-Violenta (CNV) na sua rotina?

Esperamos que nosso artigo tenha te ajudado a entender um pouco o conceito, a base e como praticar a Comunicação Não Violenta (CNV) para melhorar sua relações tanto no âmbito profissional, quanto no pessoal.

Compartilhe com seus amigos!
Gostou do que leu?
Cadastre-se e teste o JivoChat agora mesmo!
É grátis e só leva alguns minutos para fazer o download